quarta-feira, 30 de abril de 2014

Dica para o Feriado





Minha dica para esse feriado: Que tal colocar a leitura em dia??!!

O Trecho que jamais me esquecerei - O Pequeno Príncipe


"Como o principezinho adormecesse, tomei-o nos braços e prossegui a caminhada. Estava emocionado e tinha a impressão de carregar um frágil tesouro. Parecia-me mesmo não haver na terra nada mais frágil. Observava, à luz da Lua, aquele rosto pálido, seus olhos fechados, suas mechas de cabelo se agitavam com o vento. E pensava: "Oque eu vejo não passa de uma casca. O mais importante é invisível..."
Como seus lábios entreabertos esboçassem um sorriso, pensei ainda: "O que tanto me comove nesse príncipe adormecido é sua fidelidade a uma flor; é a imagem de uma rosa que brilha nele como a chama de uma lamparina, mesmo quando ele dorme..."  E eu então o sentia ainda mais frágil. É preciso proteger a chama com cuidado: um simples sopro pode apagá-la!
E continuando a caminhada, eu descobri o poço, ao raiar do dia." (O Pequeno Príncipe - p. 78)

terça-feira, 29 de abril de 2014

Citação - Edith Stein



“O corpo e a mente do homem estão equipados para a luta e a conquista segundo sua vocação original de submeter a terra e de tornar-se seu senhor e rei. Nele atua o impulso de sujeitá-la pelo conhecimento e assim apropriar-se dela pelo espírito, mas de adquiri-la também como posse, com os prazeres que ela tem a oferecer e, finalmente, de transformá-la em sua própria criação pela ação transformadora. (…) Quando a vontade de conhecer se revela forte e quando empenha todas as suas forças para satisfazê-la, vê-se na contingência de ter de renunciar amplamente às posses e ao desfrute dos bens da vida; quando coloca a sua vida a serviço de posses e prazeres, aproxima-se menos do conhecimento puro (…). Quando se dedica totalmente à criação de um pequeno mundo pela ação formadora (…) acaba relegando a um segundo plano o conhecimento puro e a alegria dos bens da vida. Em cada um desses campos por sua vez, o desempenho individual é tanto mais perfeito quanto mais limitada a área de ação. Desta maneira, é justamente o desejo da realização mais perfeita possível que leva à uniteralidade e ao atrofiamento de grande parte das suas possibilidades.” Edith Stein (A mulher: sua missão segundo a natureza e a graça, 2, II (EDUSC 1999, pág. 88)

Curiosidade sobre a Russia e Dostoiévski



Texto retirado de: DOSTOIÉVSKI, F, 1821-1881. O Adolescente; adaptação e apêndice Diego Rodrigues; ilustrações Renato Alarcão.- São Paulo: Cia das Letras, 2010.

"SOBRE NOMES E APELIDOS RUSSOS

Os russos costumam ter três nomes: o de batismo, o patronímico e o de família. O patronímico se forma a partir do nome do pai, com sufixos diferentes para gênero masculino e feminino. De modo geral, os filhos recebem o nome do pai com a terminação "itch", e as filhas, com a terminação "ovna" ou " evna". O pai adotivo de Arkádi (personagem principal do livro) se chamava Makar, por isso seu nome é Arkádi Makárovitch. A irmã de Arkádi - Elisaveta, apelidada de Lisa - também recebeu o nome do pai adotivo; seu nome é Elisaveta Makárovna. Já Ana, meia-irmã de Arkádi e Lisa, é filha oficial de Andrei Versílov, por isso se chama Andréievna.
No séculos VXI, o uso do patronímoco era habitual em Portugal, o que deixou marcas nos sobrenomes na nossa língua até hoje. Rodrigues é filho de Rodrigo, Nunes é filho de Nuno, Esteves é filhos de Estevão. O mesmo uso havia na Espanha (Rodríguez, Nuñez, Estévez).
Quando se faz uma referência ao nome da família no plural, geralmente se acrescenta um "i" na transliteração em português - por exemplo, para se referir à família de Versílov, usa-se " os Versílovi".
Os russos são muito carinhosos no tratamento: parentes e amigos frequentemente chamam um ao outro pelo apelido. Elisaveta é chamada de Lisa; Sófia, de Sônia, e Arkádi por vezes é chamado de Arkacha. Também são usados diminutivos, como mamienhka, que vem de " mamãe". Nas relações de trabalho e em conversas mais formais, as pessoas costumam ser chamadas pelos dois primeiros nomes; o nome completo só é utilizado em ocasiões jurídicas e muito formais." (p. 13-14)

Legal né??!!

segunda-feira, 28 de abril de 2014

E eu grifei meu livro!




A Montanha Mágica - Thomas Mann

Resumo - O Psicólogo




Resumo

 o terapeuta  procura,
num discurso que, de início,
não é o do seu cliente,
uma verdade
que nem ele nem o cliente
sabe qual é.

Depois da descoberta, 
após longo trabalho,
depois de o cliente se apossar da sua voz,
nem o terapeuta
nem o cliente
saberão se essa era a verdade
que estavam procurando.

E os dois acreditam, agora,
que essa (nova?) verdade
faz parte de um projeto de vida
que sempre esteve aí,
a cada passo da terapia.

Mas eles nunca viram,
E se o cliente pensou que viu,
o terapeuta denunciou
que era uma ilusão.

Este é o trabalho.

(Fonte: Cancello, Luiz A. G. O fio das palavras: um estudo de psicoterapia existencial. São Paulo: Summus, 1991)

Citação - Sören Kierkegaard



"[...] e ninguém deve ter a ousadia de tratar a vida de Cristo como curiosidade sem importância. Quando Deus se encarna e se faz homem, não é duma fantasia que se trata, duma invenção para se evadir, talvez, desse tédio inseparável, segundo uma opinião imprudente, duma existência de Deus... Resumindo, não é para pôr nela a aventura. Não, esse ato de Deus, esse fato, é a seriedade da vida. E, por sua vez, a seriedade dessa seriedade é o dever imperioso que todos têm de ter uma opinião a esse respeito." (KIERKEGAARD, 2003, p. 118).

"Não sei, amigo leitor, o que terás feito na vida, mas esforça o teu cérebro, arranca a máscara, caminha a descoberto por uma vez, desnuda o teu sentimento até as suas vísceras, destrói todas as muralhas que normalmente separam o leitor do seu livro." (KIERKEGAARD, 2003, p. 115).

"A fé é um milagre; entretanto, ninguém está excluído dela; pois é na paixão que toda a existência humana acha a sua unidade, e a fé é uma paixão." (KIERKEGAARD, [1843], p. 78).

Bibliografia:
KIERKEGAARD, S. Temor e tremor. Rio de Janeiro: Ediouro, [1843].
______ . O desespero humano. São Paulo: Martin Claret, 2003.



domingo, 27 de abril de 2014

Uma história sobre meu filho caçula




Há uns anos atrás teve reunião de pais na escola do meu filho caçula. E nestas reuniões a professora sempre falava do meu filho, que estava com 5 anos.

Geralmente ela falava do quanto as meninas da sala gostam dele, etc. Já tive que encarar algumas mães e pais dizendo: Ahhhhhhhh!! Vc que é a mãe do Ian??!!!! Porque suas queridas filhas são totalmente caidinhas pelo meu aprendiz de galã.

Mas, desta vez não foi esse o tema que envolveu meu filhote. Ufa! Fiquei até aliviada!!

Ela contou a todos que foi questionada por ele sobre o porque não tinha o dia do livro, se tinha o dia do brinquedo, o dia da fruta e o dia do dvd! Ela disse que ficou sem resposta, pois ele é um aluno que leva todos os dias um livro pra escola. 

Realmente o Ian leva todos os dias um livro pra escola, religiosamente, e não foi eu que ensinei, foi iniciativa dele. Fiquei muito feliz, especialmente por meu filho se destacar não por causa das meninas, mas por causa dos livros, porque a atitude dele fez com que as outras crianças começassem a levar livros pra sala também.

Depois no encontro individual com a professora, ela me falou que na verdade teve que perguntar a diretora se esse aluno que levava livro todos os dias podia manter o hábito, porque tem um dia para tudo na escola. Já que a diretora autorizou, ela passou a ler para as crianças os livros que o Ian levava. Contei a ela que o ele gosta muito de livros, e que ele e o irmão gostam de ficar em livrarias, e que além disso, eu passo boa parte do tempo lendo e que já possuo um acervo de quase 800 livros. 

Quando terminou a reunião, ela voltou pra sala de aula e conversando com os alunos sobre a conversa comigo ela contou que o Ian morava em uma biblioteca! Ele chegou em casa todo feliz contando: Mãe! A tia falou que eu moro em uma biblioteca! Não é legal?!!

Eu achei um barato, porque vejo os frutos do exemplo aparecendo! A sementinha está germinando e eu já tenho herdeiros para a única coisa que eu tenho para deixar pra eles....Meus livros!

Vale a pena pensar: O que estamos fazendo para deixar de exemplo para nossos filhos?O que somos e fazemos hoje servirá de norte para nossas crianças? Filho aprende com exemplo e não com palavras
Vale a pena pensar não é mesmo??!!

Citação - Chesterton e os Contos de Fadas

Fonte: The Chesterton Rewiew - Chesterton e os contos de fada



"De todas as formas de literatura, parece que os contos de fada apresentam o retrato mais realista da vida. Pode haver muitos erros nos detalhes, mas num mundo tão cheio de coisas estranhas, os detalhes pouco importam." (p.6)
"Nenhum de nós sabe quando fazemos algo irrevogável. Nosso destino é regido, muitas vezes é decidido pelo girar de uma roda ou pelo formato de uma árvore. Mas ainda, ele é decidido, várias vezes por um ônibus ou por um anúncio, e, portanto, pouca razão pode have de negar que seja um ônibus mágico ou um anúncio mágico." (p.7)
Os contos de fadas nos advertem, acima de tudo, para ficarmos alertas com os disfarces que as coisas possam ter, e para olhar para todo o exterior feio e repelente com esperança e divina desconfiança. Das trevas de uma época mais antiga do que das crônicas nos chegam estórias como Cinderela e A Bela e a Fera, um sermão contra o esnobismo." (p.8-9)


sexta-feira, 25 de abril de 2014

Uma Reflexão pela paz, paz na minha cidade, paz no mundo







"...O afastamento ruinoso de Deus é o ponto de partida de todos os envenenamentos do homem; a sua superação é a condição fundamental para a paz no mundo. Só o homem reconciliado com Deus pode também se reconciliar consigo mesmo e estar de acordo, e somente o homem que estiver reconciliado com Deus e consigo mesmo pode construir a paz à sua volta e em toda a vastidão do mundo.(...) Que haja paz na terra (Lc.2,14) é a vontade de Deus e ao mesmo tempo uma tarefa entregue aos homens. O cristão sabe que a persistência na paz com Deus é uma parte indispensável da luta pela "paz sobre a terra"; a partir daí vem os critérios e as forças para esta luta. Que aí onde Deus deixa de estar presente no ângulo de visão do homem também a paz falhe e prevaleça a violência com imprevisível crueldade: podemos presenciar isso hoje com toda clareza." (Joseph Ratzinger/Bento XVI - Jesus de Nazaré,2007. p.88)

Eu uso leitor digital!


Durante todo esse tempo lutei contra essa onda de e-readers, um belo dia não resisti e comprei um!
Na verdade foi depois de fazer um test drive no do meu irmão.

Além de bonitinho é muito pequeno e mais fino que um tablet ou ipad, não pesa na bolsa e eu posso carregar 3.500 livros sem ficar com problemas na coluna! Eu carregava 2 ou 3, agora não preciso carregar tanto peso assim e a minha estante não está mais lotada.

No início a gente estranha um pouco, mas logo se acostuma. Não é touch, então não dá para virar a página (é engraçado ver meus filhos passando o dedinho para tocar e eu tenho que dizer "não filho, não é touch"!). Não tem o cheirinho de livro, mas se a abstinência for muita, dou uma cheradinha nos livros em casa ou numa livraria...rsrsrs.

O Kindle é bem legal, porque tem wi-fi e vc baixa textos e livros em PDF, isso facilita muito achar livros grátis na internet, mas mesmo se resolver comprar algum livro, na Amazon.com, as vezes são bem baratos , e tem os livros em inglês e em português, inclusive alguns grátis. Mesmo se não tiver wi-fi, ele é plug and play, ou seja, conectou no computador está instalado e transferir os textos é fácil, fácil. É só arrastar! Também tem um programa chamado Calibre que te ajuda bastante na organização do Kindle.

Ao contrário do que se pensa, o Kindle não cansa os olhos porque a tela e a definição dele se aproximam muito de um livro, o que se torna uma desvantagem ler no escuro, porque sem luz você não enxerga nada.
Ainda sim acredito que foi uma ótima opção para mim que não tenho parado muito em casa. E não sei ficar sem ler um minuto que tenho folga.

Claro que eu ainda não consigo levar só o kindle e ainda carrego ao menos um livro na bolsa, mas fazer o que? Ainda tenho muitos livros de papel na estante para ler e alguns chegando via correio.



Para que está resistente aos e-readers, eu digo: não fique! É um bom investimento literário e custa barato, alguns custam menos de 100 dolares! O meu comprei direto no site da Amazon e chegou em 3 dias, embalagem bem lacrada e com nota fiscal. Você só precisa habilitar seu cartão de crédito para compras internacionais, e comprar aquele adaptador de tomada com USB, igual as tomadas da apple. Depois é só diversão!

A única queixa que tenho é que não consigo ler no escuro, porque o meu não tem luz própria, mas a Amazon já resolveu isto!

Não tenha pre-conceito e experimente um, tenho certeza que não vai se arrepender.

Você sabe como formar um Clube de Leitura?


 Você sabe como formar um Clube de Leitura? Se não, aqui vão umas dicas:

 Andei pesquisando na internet sobre como formar um clube de leitura e na verdade o que precisa para formar um é, boa vontade e amigos que gostem de ler.
Como sugere o site Lendo.Org 
  • Precisa formar um grupo de pessoas (no máximo 10, pq senão não daria para todos falarem);
  • Precisa de um lugar, que pode ser fixo ou não. Pode ser cada dia na casa de m integrante, ou em uma cafeteria, uma praça etc. Use a Imaginação!
  • Precisa escolher o livro de preferência em comum acordo com o grupo. Já fiz por sorteio e deu muito certo! O site sugere livros que sejam fáceis de se achar especialmente em sebos para não ficar caro pra todo mundo;
  • Os encontros podem acontecer uma vez por mês para dar tempo de tudo mundo ler o livro.
Como funciona o clube de leitura:

  • Cada um leva sugestões de livros para serem lidos.
  • No encontro faz-se um sorteio do livro que será lido.
  • Todas teremos o prazo de um mês para ler o livro.
  • Um mês depois o grupo se encontram para conversar sobre o livro lido, e sortear o próximo, etc


Alguns site de livros que tem clubes de leitura, disponibilizam guias para Clubes de Leitura, pode ajudar bastante. Como por exemplo o site do Nicholas Sparks (House Party) e a Mary Alice Monroe (Book Clubs)

Quem quiser saber mais sobre como criar um clube de leitura Clique aqui.

Acho que é uma excelente forma de ampliarmos o nosso grupo de amigos, ótimo para fazermos novos amigos, ótimo para sairmos um pouco do virtual!!

Livros, chegadas e partidas


LIVROS!!!
 Acho doce, angustiante, feliz, tenso dar a PARTIDA em um livro. Começar um livro me deixa ansiosa para saber o que o livro tem para me contar, como se fosse uma visita muito, muito esperada. Fico doida para saber como vai acabar o livro, como a história vai se desenvolver. 
Costumo tornar os personagens reais na minha cabeça, converso com eles. É delícia, sorrir com o texto, chorar com o texto, falar com o texto não importa onde eu esteja.

Mas também fico feliz na CHEGADA ao "The End"! O livro acabou, o mistério e a emoção passaram. A Sensação é de missão cumprida. Cheguei ao final de mais um livro. Como é bom! Mas dá um vazio.... E então eu CHEGO na minha estante e espero o próximo livro dar a PARTIDA na minha direção. Não sou eu que o escolhe, ele me escolhe, ele diz pra mim onde será a próxima PARTIDA rumo a nova aventura, a nova vida, a nova ciência, ao novo aprendizado.

Então os meus dias ficam cheios de letras e sonhos e eu não canso NUNCA de CHEGAR e PARTIR de página em página, sem tirar meu pé da terra.
Dou a PARTIDA com o pé na terra para chegar onde só a minha imaginação pode CHEGAR.

Atualmente viajo em uma busca por "Deus  e o Sentido da Vida" em uma enorme "Montanha Mágica".

                                                    

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Uma Citação



"... E quando o coração fica oprimido, dolorido, atormentado e triste, então a recordação o refresca e vivifica, como as gotas de orvalho numa tarde úmida que, depois de um dia quente, refrescam e revivificam a pobre florzinha murcha, crestada pelo calor do dia." ( Gente Pobre - F. Dostoiévski, p. 53 ed.34)


Serenidade e Paz Pela Oração - Rafael Llanos Cifuentes





Terminei de ler o livro "Serenidade e Paz pela Oração" de Dom Rafael Llanos Cifuenttes. E confesso que demorei muito mais do que pretendia na leitura desse livro, mas agora chego a conclusão de que eu não queria que o livro acabasse! 

Cheguei até esse livro muito por acaso, na casa de uma amiga. O que me chamou a atenção nele foi um sub-capítulo chamado "A impaciência, a Irritabilidade e a Oração". Achei que este capítulo me caía como uma luva, visto que eu andava extremamente irritada e impaciente com tudo! Com meus filhos, com o serviço de casa, com a minha lentidão para ler, etc. 

Como eu conheço o Dom Rafael, desde pequena, porque quando eu era criança ele era Bispo Auxiliar da Diocese que eu morava, e eu o via frequentemente na paróquia que eu frequentava, e não bastando isto eu fui crismada por ele, aprendi os mistérios do método Billings nas palestras dadas por ele. Resolvi pagar para ver o que Dom Rafael mais uma vez poderia fazer por mim.

Há muito tempo atras eu escrevi num post (qualquer dia reposto ele aqui) para uma blogagem coletiva que eu não escolhia os livros que eu lia, mas que meus livros me escolhiam. E na verdade quase sempre mudo a lista de leituras do ano! Planejo uma lista e termino o ano lendo outra! Deve ser por isto: os livros me escolhem para lê-los. E isto mais uma vez aconteceu!

Este livro me escolheu! Era exatamente o que eu buscava na minha vida pessoal e na minha vida espiritual. Aprendi a me relacionar com Deus de forma mais simples e leve. Aprendi porque não devo perder a PAZ e como não perder a PAZ. E os resultados da leitura são notórios, porque me sinto mais serena e já a mesma amiga que me emprestou o livro notou também.

Acredito que é Deus me ensinando pelas vias que mais O convém. E eu lhe sou muito, muito grata! E sou grata também a Dom Rafael!

Indico este livro a todas as pessoas que precisam reencontrar a Paz, a Serenidade e a Oração. É um livro de um Bispo e escritor católico sim, mas acho que vale para todos os que querem estar mais perto de Deus. Para todos os que estão em depressão, ansiosos, tristes e sem esperança.

Aí vai a sinopse do livro:

"Vivemos num mundo conturbado parece que tudo nos assalta: o ritmo das atividades, as exigências da vida, a eficácia permanente do nosso trabalho, os presságios de um futuro que nos preocupa, os apelos e dificuldades familiares...
Mas quando tudo isso é levado à oração, os problemas mudam de feição. Conseguimos, então, superar o que nos tira a serenidade e a paz.
O presente livro ajuda-nos a encontrar em todas essas situações uma solução e um sentido.
A oração que nos leva a um abandono amoroso nos braços de Deus torna-se para nós um verdadeiro bálsamo: que paz nos dá sentir que estamos no regaço de um pai que tudo sabe e tudo pode e nos ama mais que todos os pais e mães d mundo juntos podem amar a um único filho!
A obra que agra se publica nos leva a introduzir-nos como um cateter no mais intimo do nosso ser para, através de uma profunda endoscopia, dar ao Espírito Santo a oportunidade de nos curar de todas as doenças do corpo e da alma: a oração de cura é um dos seus capítulos mais significativos, e nele encontraremos esperança e alívio.
Maria, esposa do Espírito Santo, que tudo ponderava no seu coração, é mestra de oração. Ela nos ensinará, por meio destas páginas, a traduzir em oração todas as tarefas da nossa vida, como Ela fez em Nazaré, convertendo a prosa diária em verso heróico.
Assim a nossa vida se converterá num remanso de paz e serenidade.
Fonte: http://www.ecclesiae.com.br

Título: Serenidade e Paz pela Oração - como superar as preocupações, a ansiedade, as depressões e as angústias
Autor: Rafael Llanos Cifuentes
Editora: Quadrante - 2002 - RJ 
Abraço a todos! Paz e Serenidade!

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Uma Citação...



 



"Às vezes parece que as pessoas renunciaram ao direito que têm de pensar por conta própria e o delegaram na "cabeça do rebanho", que pensa por elas, ou o dissolveram no grupo acéfalo, que não tem inteligencia nem coração, que não possui orgãos para capta o sentimento de culpabilidade: o refúgio é a massa!"  (p.91)

"… a maioria pensa como eu; todos fazem o mesmo. Que sensação de paz morna se sente no contato com a massa! Ela parece que salvaguarda e defende o indivíduo ao diluir a sua responsabilidade pessoal entre mil cabeças ou ao converter em anônimo o erro".  (p.89)
Dom Rafael Llano Cifuentes - Deus e o sentido da vida

A Escolha de Nicholas Sparks


Para quem não sabe, sou uma Sparkiana literalmente de carteirinha, já li todos os livros do Nicholas Sparks, tenho todos os filmes e amo de paixão tudo que ele escreve! 
Por isso no blog novo coloco a resenha de um dos meus livros favoritos dele, apesar de ter vários como favoritos!!


 


Com lágrimas nos olhos terminei mais um livro do Nicholas Sparks. 

E mais uma vez me pergunto, COMO ELE CONSEGUE??? Como ele consegue escrever estes livros!?
Este então, me arrastou numa viagem incrível por cada página imaginando na minha cabeça o Travis, a Gabby e a Sthef. Deus do céu, senti tanta angústia e curiosidade, simplesmente me apaixonei pelos personagens! 

Quase criei um roteiro na minha cabeça, colocando Channin Tatum (o John de Querido John) no lugar de Travis e Rachel McAdams (a Allie de Diários de uma paixão) como Gabby.

Torci pela estória do livro o tempo todo. Desacelerei minha leitura porque não queria que o livro acabasse. Acelerei porque queria saber o que vinha depois.
O que mais me encanta em ler um livro é justamente isso: estar dentro do livro e me sentir fazendo parte da estória, ter eles na minha vida. É rir e chorar com cada linha que leio.
Gostaria de ter a Gabby e a Steph como minhas melhores amigas.
Como ele consegue escrever esses livros, de onde vem estas linhas que simplesmente me prendem a cada página? 

Quando parece que nada acontece, tcham ram!! Alguma coisa acontece e arrebata você para o texto e te faz ficar presa até a ultima linha.
Tenho os meus preferidos dele que são Diários de uma paixão, O milagre, A última música, O Guardião e com certeza, A escolha entrou para lista!
Já li todos os livros dele em português e estou lendo meu primeiro livro do Nicholas Sparks em inglês (At first sight que é uma continuação de O milagre).

Sab aqueles livros que te deixam de luto no final?? Que os críticos reclamem, que considerem leitura fraca etc, não estou nem aí. Os livros do Sr. Sparks, fazem a gente sonhar e suspirar no meio dos furacões que as vezes vivemos na vida. Ele tem a habilidade de transformar tanto a alegria como a tristeza em um romance que doa a quem doer você não iria reclamar se tivesse que vivê-lo.
Enfim! De novo o Nicholas Sparks me agarrou pelas linhas!

Fica a Dica!!

terça-feira, 22 de abril de 2014

O Quarto de Emma Donoghue




Nome do Livro: Quarto
Autora: Emma Donoghue
Ano: 2011
Páginas: 349
Editora: Versus
Página do livrohttp://www.roomthebook.com


Li o "Quarto", influenciada por mais umas das ótimas resenhas do blog Quero morar em uma livraria, comprei o livro no ano de 2010 e só o li muito tempo depois. Claro que comecei em um dia e terminei no outro, não porque eu não faço nada e só leio, mas porque eu fiz tudo com ele na minha frente e dormi pouco. O livro em um momento me prendeu, meu deu angústia pois não sabia o que ia acontecer... Mas sobre o que é o livro?

O livro conta a história de Jack, um menino de cinco anos que nunca viu o mundo, ou o Lá Fora, como ele chama. E de sua Mãe, uma jovem que vive em cativeiro a sete anos, sob os maus tratos de um homem perverso, que o menino chama de Velho Nick.
No cativeiro a Mãe faz tudo para que o menino não sinta a angústia que ela sente por estar ali presa a tanto tempo, e sinceramente tento enfrentado tudo o que ela enfrentou, não sei como ela manteve a força e a lucidez para criar o filho! Sem que ele percebesse que tudo ali é um pesadelo interminável. Inteligente e curioso, Jack conseguia levar a mãe ao limite da paciência, mas de uma certa forma ela devia ter a segurança de quando ela ficasse "Fora", ele estaria seguro perto dela.

A história se desenrola e numa tentativa desesperada ela planeja a fuga deles, acho que nem ela sabia que tinha um filho tão corajoso. Mas, penso que ambos foram movidos pelo amor de si mesmos e pelo amor de um pelo outro. Eu sofri junto com ela e o menino, fiquei tensa, chorei, pensei nela sozinha lá dentro. É incrível, mas eu consigo entrar na história pra valer, especialmente se o livro é bom.

O que mais me chamou a atenção, foi a forma como os de "Lá Fora" viam a experiência que a Mãe e o Jack viveram, todos se julgavam saber e encaravam como se o que fosse "normal", especialmente para o Jack, fosse esse mundo real, o qual vivemos. O tempo todo eu pensava (como se fosse real): Será que ninguém percebe que para o menino o real é o "Quarto"??!! O único mundo que ele conhece nos cinco anos de vida do menino era este!!?? O menino fica muito confuso, querendo voltar para o mundo dele, ele não entende até ele ler o que aconteceu com a mãe dele num jornal e imaginar que talvez não tenha sido tão bom assim!

Mas acredito que ele só entende isso quando ele volta no quarto e não o reconhece mais como o seu lugar, mas como um buraco feio, pequeno e fedorento. Eu amei o livro, vale muito a pena lê-lo, é uma história de amor e sobrevivência diante de limites reais e concretos.
É isso aí acho que essa foi minha primeira resenha, não sei se é assim que se faz, mas é uma proposta nova para mim.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Tudo novo




A vida é assim, sempre tempo de recomeçar, a cada dia podemos fazer tudo de novo ou tudo diferente e por isso vou recomeçar. Um blog novo, diferente... Mas esse aqui vai continuar. Mas, pode ser que não tenha muitas novidades aqui...

Então... EM CONSTRUÇÃO:


Não posso deixar de agradecer enormemente a minha querida Meri Pellens do Blog Coisas da Meri que fez o desing desse blog e vai fazer o do outro também. Agradecer pela ajuda e paciência. Por isso é oficialmente a madrinha do Mistura com Classe!

Sendo assim... nos vemos por aí, por aqui, por lá.

Para começar...


 

Primeiro post do blog novo, deve ser especial, porque ele está sendo feito de forma muito especial!
Blog novo porque tenho outro (Amica Philosophiae) e já tive vários, mas agora, verdadeiramente e de coração espero que eu aprenda a aproveitar essa nova etapa na minha vida.

Porque a vida é assim, a cada dia um recomeço, a cada manhã uma nova chance de fazer nova todas as coisas. Este é o objetivo deste blog: Recomeçar, aprender a misturar e espalhar por aí sementes de bem com muita classe!

Então pode ser que eu desenterre de lá (do outro blog) alguma coisa que eu ache legal, mas a princípio pretendo me empenhar e fazer algo novo sempre.

Pretendo ter aqui resenhas, dicas para casa, coisas que penso, temas que levam a fé, livros e filmes é claro e tudo o mais que eu conseguir misturar aqui. De verdade, espero que eu possa fazer uma mistura muito boa e que você leitor goste muito.

Por isso para começar: um poema...

“Moro na possibilidade,
casa mais bela que a prosa,
com muito mais janelas
E bem melhor, pelas portas
De aposentos inacessíveis,
Como são, para o olhar, os cedros,
E tendo por forro perene
Os telhados do céu.
Visitantes só os melhores;
Por ocupação, só isto:
Abrir amplamente minhas mãos estreitas
Para agarrar o paraíso.”
(Poemas Escolhidos – Emily Dickinson, ed. L&PM. pag. 45 e 47)
Let's Begin!!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Uma Citação



"Tenho medo de escrever. É tão perigoso. Quem tentou sabe. Perigo de mexer no que está oculto - e o mundo não está à tona, está oculto em suas raízes submersas em profundidades do mar. Para escrever tenho que me colocar no vazio. Neste vazio é que existo intuitivamente. Mas é um vazio extremamente perigoso: dele arranco sangue. Sou um escritor que tem medo da cilada das palavras: as palavras que eu digo escondem outras - quais? Talvez as diga. Escrever é uma pedra lançada no fundo do poço". (Clarice Lispector)

Litteras et Fidem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Copyright 2014 Litteras et Fidem: Abril 2014 . Personalizado por Meri Pellens . Tecnologia do Blogger.
*Proibido cópia sem autorização da autora. Plágio é crime previsto por lei.*