sábado, 26 de dezembro de 2009

Pelo fim da publicidade de bebidas alcoólicas!



Curioso!
O Brasil proíbe que as pessoas dirijam se beberem.
Não permite a venda de álcool para crianças e adolescentes.
Até quando vai permitir que sejam enganados pela publicidade de bebidas alcoólicas?

A estratégia publicitária da indústria de bebidas alcoólicas alia a bebida aosporte, a conquistas amorosas e de status, misturando realidade com apelo ao uso de bebidas. Apenas na publicidade que assedia o imaginário esporte, relacionamentos bem-sucedidos e álcool caminham juntos. A propaganda de cerveja é exemplo completo da transformação dos corpos em objetos e de oferta de falsos atalhos para a felicidade. Essa publicidade é enganosa. Álcool, beleza e sucesso não são sinônimos.


Assim, é preciso estabelecer políticas públicas que sejam efetivadas em todo o território nacional, garantindo aos cidadãos o direito de ser bem-informados sobre os produtos que lhes são oferecidos. Regular não é cercear o direito dos indivíduos, mas prover proteção social e garantir o direito a informações corretas sobre as mercadorias ofertadas. No Brasil, a regulação é feita pela própria publicidade, baseada, em tese, na proteção a crianças e adolescentes e na proibição de induzir ao consumo abusivo e irresponsável de bebidas alcoólicas. Ora, propagandas em lugares ensolarados, animados e bonitos não são atraentes para adolescentes? Essa autorregulação não funciona!

Mesmo as leis existentes seguem descumpridas: não restringem, por exemplo, a propaganda de cerveja, resultado da pressão do poderosíssimo lobby da indústria de bebidas e da publicidade, que movimentam milhões de reais. A regulamentação não é obedecida. A indústria cria artifícios legais para burlar as restrições à publicidade. Isso não deve ser aceitável! Por isso a Psicologia posiciona-se pelo fim da publicidade de bebidas alcoólicas!
Texto do Conselho Federal de Psicologia http://comunicacao.pol.org.br/

Então é Natal....



Celebrar o Natal a Luz do pensamento Steiniano

É CELEBRAR A SABEDORIA ENCARNADA

É CELEBRAR A VERDADE ENCONTRADA NUMA MADRUGADA EM UM LIVRO.

É CONTEMPLAR, AÇÃO TÃO COMUM AOS FILÓSOFOS.

É ACREDITAR QUE O SER HUMANO É CAPAZ DE SE PLENIFICAR.

Não poderia deixar de compartilhar aas palavras de minha mestra Edith Stein. Este ano não pude ler tanto e estar próxima dela por meio dos livros, mas pude experimentá-la através das orações e da devoção a esta minha amiga e Santa. Foi bom relacionar-me com ela de maneira, fora dos livros e mais na amizade espiritual. Graças a Deus vi a intercessão de Santa Teresa Benedita da Cruz por mim ao longo deste ano.
Por isso nessa Oitava de Natal, desejo a todos um Santo Natal e que no ano de 2010 todos possam se aproximar cada vez mais dos Santos da Igreja e aprender com eles o verdadeiro sentido de ser Cristão Católico como Jesus Cristo foi e Como Edith Stein, na sua simplicidade em vida lutou para ser e viver.
Um Abraço
C.L.

Santa Teresa Benedita da Cruz, Rogai por nós!!


terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Papa condena a Teologia da Libertação

Papa condena outra vez a Teologia da Libertação
por Padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior
Arquidiocese de Cuiabá – MT


Em discurso a bispos brasileiros, o papa Bento XVI condenou mais uma vez a Teologia da Libertação.
O discurso foi pronunciado neste sábado (05/12/2009) ao grupo de Bispos do sul do país que se encontrava em Roma por ocasião da visita ad limina. Por ocasião desta visita, que acontece a cada cinco anos, os Bispos apresentam ao papa e à cúria romana um relatório a respeito de suas dioceses e ouvem do pontífice as orientações para seu futuro pastoreio.
Bento XVI recorda o aniversário de vinte e cinco anos do documento que ele mesmo assinou, como então Cardeal Ratzinger, condenando esta forma de fazer teologia utilizando “teses e metodologias provenientes do marxismo”.
As palavras usadas pelo papa são duras e fogem do padrão diplomático dos discursos curiais, fazendo uma lista politicamente nada correta das consequências da Teologia da Libertação: “rebelião, divisão, dissenso, ofensa, anarquia”.
O pontífice admite que a Teologia da Libertação não é um problema do passado quando recorda aos bispos que estas terríveis consequências “fazem-se sentir ainda” e que ainda se encontram em “vossas comunidades diocesanas”.
O balanço geral apresentado por Bento XVI a respeito da aventura libertária da Igreja do Brasil parece fechar no vermelho. “Grande sofrimento e grave perda de forças vivas” – conclui o sucessor de Pedro.
Clique aqui para ler todo o texto do discurso.

É favor veicular esta notícia através de sua lista de endereços, orkut e meios de comunicação disponíveis.
 
FONTE:http: //www.seminariodefilosofia.org/node/779

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

As belezas de Deus nas palavras de Josémaria Escrivá



O cristão é uma pessoa igual às outras na sociedade; mas do seu coração transbordará o júbilo de quem se propõe cumprir, com a ajuda constante da graça, a Vontade do Pai. E não se sente vítima, nem inferiorizado, nem coagido. Caminha de cabeça erguida, porque é homem e é filho de Deus.


A nossa fé dá todo o seu relevo a estas virtudes que pessoa alguma deveria deixar de cultivar. Ninguém pode vencer o cristão em humanidade. Por isso, quem segue Cristo é capaz - não por mérito próprio, mas pela graça do Senhor - de comunicar aos que o rodeiam aquilo que às vezes pressentem, mas não conseguem compreender: que a verdadeira felicidade, o autêntico serviço ao próximo passa necessariamente pelo Coração do nosso Redentor, perfectus Deus, perfectus homo, perfeito Deus, perfeito homem.

Litteras et Fidem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Copyright 2014 Litteras et Fidem: Dezembro 2009 . Personalizado por Meri Pellens . Tecnologia do Blogger.
*Proibido cópia sem autorização da autora. Plágio é crime previsto por lei.*